segunda-feira, 7 de janeiro de 2008

NA MIRA -- Jornalista faz alerta sobre o mercado de animação no Brasil

Umas das jornalistas mais engajadas do meio, Sandra Monte recentemente postou o texto "Lado negro do mercado brasileiro de animes" em seu blog Papo de Budega, abordando alguns dos problemas do mercado de animação aqui no Brasil.

O texto não é longo mas vale a pena ser lido por todos os que dizem apreciar e acompanhar o mercado de animes, eventos e cosplay aqui no Brasil.

"(...) Talvez seja um pouco duro, mas é importante lembrarmos que 2008 é o ano do Centenário da Imigração Japonesa no Brasil. Uma boa época para que os fãs e algumas pessoas da área de animação e quadrinhos japoneses possam refletir. (...) Muita coisa errada acontece. Acho importante sempre lembrar e mencionar as mazelas desse meio. (...)

Estes dias, vi certo site (...), cujos donos também atuam em eventos. (...) Dizem que estão sendo copiados. O curioso é que o “site (evento) (...) copia notícias de pages descaradamente.

(...) Também é curioso que em seu grupo do Orkut, proibem de falar de pirataria. Mas, em seus eventos, o que mais há são DVDs piratas. (...) por que a hipocrisia? (...)."


O alerta de Sandra é extremamtente válido e corajoso, nesses tempos em que o direito autoral conta tão pouco -- mais interessados em consumir, ninguém mais parece se importar em dar ao autor e as entidades que o representam o que lhe cabe, seja porcentagem, seja crédito pela obra. E isso se extende não apenas à pirataria, mas a obras intelectuais como uma foto, um texto, um desenho.

O Cosmic Saloon mais que nunca apóia essa iniciativa.

Para ler o texto completo, clique aqui.

4 comentários:

Florisvaldo^_^! disse...

E digo mais: por mais que os tempos estejam financeiramente bicudos (não estão tão bicudos assim, pra falar a verdade), não faz sentido certas pessoas torrarem a mesada (ou em outros casos, o salário) em produtos hã..."não-oficiais".

Falo principalmente dos famosos DVDs de "lojinhas". Pra mim, só existe uma loja desses DVDs que é confiável, e mesmo assim, faz séculos que não compro nada lá. Com o tempo, aprendi a ter bom senso quanto a isso. Nos eventos eu vou, mas não pego mais desse tipo de coisa.

Mas ética e bom senso parece que não existem para os otakus de hoje. Eu sei que falando isso tô parecendo um velhinho rabugento, mas não posso deixar de falar do sacrifício que era pra conseguir um anime no caso da gente, né, Petra, Sandra?

Hoje, além de vir tudo de mão beijada, eu me assusto quando um anime fansubado por uma equipe está em DVDs em várias lojas. Infelizmente, o fansubber como a gente conheceu (que vendia a preço de custo apenas pra cobrir seu orçamento pra trazer mais animes praticamente morreu. Nasceram muitos oportunistas no nosso meio, infelizmente.

Fernando Shiruba disse...

oi petra!

concordo plenamente com seu ponto de vista! mas não foi por isso que vi aqui não. queria só deixar um oi, nem sei se você lembra de mim, eu conversei um pouco com você no animencontro em curitiba em 2002 :P
(te dei uma bonequinha de PPG, será que você lembra?). Só achei legal dar um oi de 6 em 6 anos :)

abraço e sucesso.

majusabe disse...

Eu concordo com ela!
Os animes q são vendidos nos eventos, como esta escrito na maiorida das legendas, foram traduzidos de fãs para fãs, para serem vistos na internet quando não há o original desse anime distribuido nos outros países. Mas algumas pessoas começaram a tornar isso um comércio, baixando , gravando e vendendo os animes escaradamente, como se eles tivessem traduzidio e feito a versão brasileira!Ta certoq muita gente compra pq não tem como baixar, mas eu acho errado pq isso virou um comércio aproveitador já q cobram preços exuberantes para uma coisa na qual eles não possuem nem os direitos autorais originais, e ainda simplesmente baixaram de qualquer site, ja traduzido, ou fizeram a tradução. E muitas vezes com uma péssima qualidade de imagem.

sandra monte disse...

Puxa, é mesmo!
Voce falou uma coisa muito importante.

Além disso tudo, ainda "roubam" o trabalho de tradução e adaptação dos fansubers.

Nem isso se dão o trabalho de fazer. É mole?